O que eu aprendi sobre a vida…

Oii, queridos! Boa noite =)
Hoje, decidi compartilhar com vocês uma parte da minha vida, ou seja, um capítulo do meu diário. Por que? Não sei… creio que cada um têm em si, um significado diferente para “o que é a vida”, e o meu, é esse: construção de sua própria essência. Espero que gostem, e, aos mais íntimos, se atenham a data que escrevi.
Abraços a todos e, se puderem, comentem! =D
Vassouras, 13 de Junho de 2010.
É engraçado o que você descobre de si com os outros…
Recentemente descobri que posso ser muito egoísta, principalmente com as pessoas que amo.
Há algumas semanas, descobri que não é a Mizzy que é muito pura, mas eu que sou muito pervertida;
Há dois anos e meio, descobri que não devemos temer aquilo que somos por falta de aceitação;
Há dois anos aprendi que valorização é o que define nossa personalidade, e há alguns meses, complementei isto com o “amor próprio”;
Há um ano, percebi o quanto sou esperta, e o quanto posso ir sempre mais além;
E recentemente descobri que, por mais que terceiros tentem modificar seus sonhos, se você realmente lutar por eles, tudo acabará bem…
Aprendi que as grandes amizades são as instantâneas e sem explicações;
E que os melhores momentos da vida podem ser os mais “sem noção”.
Percebi que o Léo entende mais coisas sobre mim do que eu mesma;
E que a Danny e eu não fazemos telepatia, mas nos interpretamos com o olhar.
Notei que nascemos juntos de alguém que não conseguimos nos separar, nem para ir para a escola; depois, na maioria das vezes, odiamos aquela pessoa, e quando amadurecemos, ela se torna nossa melhor amiga.
Há três meses entendi que tudo na vida tem um fim, sem exceção, o que varia é a duração do momento.
Entendi que numa amizade, posso desempenhar o papel de “cuidadora”, como quando conversava com a Ingrid;
E que por mais que não nos sintamos bem num ambiente, a Cíntia sempre nos joga para dentro da roda!
Descobri também que posso ser menina e mulher ao mesmo tempo, e essa é minha marca…
Entendi que chorar é um mal necessário, mas apenas quando fizer bem;
E que romances de filmes acontecem…
Que existem pessoas que nem tem grande participação em nossas vidas, mas marcam de tal forma, que sua presença faz falta.
Mas o mais importante, é que todas essas descobertas foram através de outras pessoas, o que me leva a concordar com Tom Jobim: “Ninguém consegue ser feliz sozinho…
Não acho que deva existir o Dia dos Namorados, mas sim o Dia do Amor. Afinal, namorado não é aquela pessoa que você quer sempre por perto, brincando, chateando e sendo feliz?
Sendo assim tenho muitos namorados e namoradas! E quero passar não apenas o Dia dos Namorados com eles, mas todos os dias de minha vida!
Por que cada parte de mim foi construída com alguém, e cada uma dessas pessoas leva um pedaço do meu coração…
E o que aprendi, principalmente, de mim com os outros, é que a vida sempre é uma troca equivalente, tudo passa com o tempo, não devemos chorar esta noite, precisamos apenas de um pouco de paciência, os sentimentos transcendem o tempo e todos querem viver para sempre, mas só consegue aquele que se torna imortal na vida daqueles ao seu redor.
Anúncios

Vamos conversar! Deixe seu comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s