Sobre o impacto de uma mentira…

Quando eu era criança e fazia alguma coisa errada, meus pais, claro, sempre vinham me repreender. Mas acontecia uma coisa muito peculiar a qual eu nunca realmente entendi o motivo… Acontecia que, se eu fizesse alguma coisa errada e, na hora que eles viessem falar comigo, eu mentisse, o tempo fechava e com certeza era um castigo muito tenso que iria vir. Mas, ao mesmo tempo, se eu fizesse alguma bagunça, e admitisse o erro sem exitar, levava uma bronca pela bagunça, e tudo ficava bem. Eu realmente nunca entendi: “por que em alguns casos a situação ficava super tensa, e em outros bem mais branda, mesmo que a intensidade do meu erro fosse a mesma?”.

Bem, foi aí que um dia, quando eu estava mais velha, me peguei ouvindo papai e mamãe falando, em um dos seus discursos, a seguinte afirmativa: “eu não suporto mentiras, não tem nada pior do que isso”. Foi então que entendi, ainda que superficialmente, um pouco do por que algumas repreensões eram severas e outras mais tranquilas: dependia de eu admitir o meu erro ou não. Só que essa acabou se tornando uma dessas lições que a gente guarda sem entender muito bem em termos práticos.
Então, conforme eu fui crescendo e vivendo meus próprios conflitos internos e sociais, fui, aos poucos, recuperando as lições que meus pais me davam em minha formação. E nesse ano, em especial de uns meses para cá, entendi perfeitamente sobre o funcionamento dessa lição sobre “mentira”. O problema maior não é o erro: todos erram e sempre errarão, não importa quão sábios ou experientes sejamos. O que realmente vai definir o seu caráter é a veracidade de suas palavras.
Um homem de verdade, uma mulher sábia, são aqueles que, diante de seus erros, não tentam fugir e os assumem, falando “eu errei” sem hesitar. É isso que separa uma pessoa de bem de uma pessoa a qual você nunca poderá confiar. É isso que separa as crianças dos adultos, ou melhor dizendo: os adultos das crianças.
Essa nossa mania que sempre querer mascarar um erro contando mentiras. De querer planejar as coisas, escondendo, mascarando e mentindo o quanto conseguirmos. Aquela frase “magoe-me com a pior verdade, mas nunca me iluda com a melhor mentira” entrou na minha lista de filosofias de vida. Sou capaz de perdoar qualquer erro… desde que a pessoa coloque a mão no peito e, com toda a sinceridade que possa emanar, assuma “eu errei e estou aqui admitindo e me desculpando”. Por que tudo na vida tem um limite, uma linha que, quando rompida, dificilmente é ligada novamente e essa linha se chama confiança. E a única forma de se rompê-la é através da mentira.
Anúncios

4 comentários sobre “Sobre o impacto de uma mentira…

  1. Pois é, Larissa… Fica mais difícil ainda quando uma pessoa sempre insiste em te esconder as coisas, mesmo que sejam aquelas “mentirinhas brancas”. Confiança realmente é algo muito frágil.
    Muito obrigada pela visita, visitarei seu blog sempre!
    Abraços :*

    Curtir

  2. Nossa, comigo também era assim. Eu sempre aprontei bastante, mas se eu mentisse, as coisas pioravam para o meu lado. AGora que cresci, a confiança aos poucos foi voltando e eu percebi que mentir não é uma boa. Nunca é, mesmo a verdade as vezes machucando :/ Estou seguindo. Besitos.

    ☠ ‏Vitamina de Pimenta ☠ ‏

    Curtir

Vamos conversar! Deixe seu comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s