Sobre as mudanças em nós

É curioso como somos seres fluidos, sempre numa constante de mudanças. Isso, é claro, só acontece quando nos mantemos abertos a sermos tomados por novidades: novos pensamentos, novas ideias, novos comportamentos, novas opiniões… Eu era muito machista há uns anos atrás. Era do tipo de guria que abominava as meninas mais “femininas” e achava um grande elogio quando os meus amigos falavam que eu era tão legal que era quase um homem. Gostava de ser a exclusiva no meio masculino e não acreditava no vitimismo feminino: se um homem atacou uma mulher, ela com certeza tinha feito por onde.

773763_554869584662832_4326293200514096916_o

Por sorte eu nunca tive problemas em mudar diante de bons argumentos, sempre recebi a mudança como uma velha amiga: de braços abertos. Infelizmente, em alguns momentos, a vida me deu uns tapas bem fortes – tive que enxergar as coisas sob outro ponto de vista de modo dolorido. Tive que passar por relacionamentos abusivos para entender que se uma pessoa ataca a outra, essa outra é sim vítima. Que quando seu namorado te busca para ir no cinema, reprova sua roupa, vai até seu guarda-roupas e escolhe a roupa que você tem que vestir, as coisas precisam ser pensadas. Que quando um cara te exibe de troféuzinho pros amigos por que “eu tenho uma namorada que joga videogames”, talvez tenha alguma coisa errada aí. Ou então quando você passa por ameaças reais na rua, simplesmente por ser mulher e por existirem homens que acreditam na supremacia masculina… Aí começa a não ter jeito: é preciso repensar suas ideias.

Continuar lendo “Sobre as mudanças em nós”

Anúncios

Akai Ito: A Linha Vermelha do Destino

Olá, queridos e queridas! Como vão todos? Hoje vou falar de uma lenda Chinesa muito fofa, e que é muito difundida no Leste Asiátio (como Japão e Coréia). Essa é a lenda da Akai Ito: A Linha Vermelha do Destino.
A lenda diz que, quando uma pessoa nasce, os deuses amarram uma linha vermelha (que não pode ser vista pelos humanos) nela e, na outra ponta, amarram a pessoa a qual esta estará destinada a amar no futuro: sua alma gêmea.

“Uma corda vermelha invisível conecta aqueles que estão destinados a se encontrar, independentemente de tempo, lugar ou circunstâncias. A corda pode ser esticada ou emaranhada, mas nunca irá se romper.”

A lenda teve sua origem na China, lá, conta-se que esta linha é amarrada no tornozelo das pessoas. Atualmente a lenda se espalhou por todo o Leste Asiático, tendo sido incorporada ao folclore oriental, tendo ocorrido pequenas modificações apenas. No Japão, a linha que conecta as almas gêmeas está amarrada no dedo mindinho. E, claro, como estamos falando de alma gêmeas, apenas duas pessoas podem estar conectadas…

 

A história da versão chinesa relata o seguinte:

“Um garoto estava caminhando para casa à noite quando se encontra com um velho homem, Yue Xia Lao, descansando sobre a luz do luar (lá, Yue Xia Lao é o deus responsável pelos casamentos). Este, então, lhe revela que o garoto está ligado a sua esposa destinada por uma corda vermelha, e então mostra para ele a garota com quem ele está destinado a se casar. Por ser jovem e não ter interesse em se casar, o garoto pega uma pedra e atira com força na garota, fugindo em seguida para longe.Muitos anos então se passam e o garoto agora já é um jovem homem, quando seus pais arranjam um casamento para ele. Na noite de seu casamento, quando ele vai encontrar com sua esposa no que será o quarto deles, ela está lá sentada com um véu tradicional lhe cobrindo a face. O jovem homem já sabia do fato de que sua esposa era conhecida como uma das mais belas mulheres do vilarejo, contudo, esta sempre vivia com enfeites na sua sobrancelha. Curioso, ele lhe perguntou o porquê de tal enfeite, e ela lhe respondeu que aquilo era porque, quando ela era jovem, um garoto atirou uma pedra nela, o que causou um corte profundo, deixando-a com uma cicatriz no local. Então, ela usava enfeites na sobrancelha para cobrir a cicatriz. Logo, a mulher nada mais era do a mesma garota que o deus Yue Xia Lao havia lhe avisado que era sua mulher destinada, ainda na sua infância.”

Existe no Japão um dorama (seria o equivalente as novelas) de mesmo nome, que trata deste assunto. Quem conhece os doramas sabe que os roteiros pegam pesado no drama. E com Akai ito não é diferente. O que poderia parecer um simples romance colegial vira um maremoto de lágrimas e sofrimento sem parar. A trama gira em torno de Mei Takemiya (Nao Minamisawa) e Atsushi Nishino (Junpei Mizobata), que nasceram no dia 29 de fevereiro – data rara que só existe nos anos bisextos.

 

Em resumo, a Akai Ito é uma ligação espiritual de amor eterno. Você pode até se envolver com outras pessoas, mas só viverá a experiência do amor verdadeiro com a sua alma gêmea: a outra ponta da Akai Ito.

O que acharam da lenda? Gostaram? Eu acho ela muito linda! Ah! A trilha sonora que usei para preparar esse post foi a música (miss)Understood, da Ayumi Hamasaki… Dá o play comigo! ;D

E não se esqueçam de participar da Pesquisa de Opinião que tá rolando aqui no Diário de Bordo. É super rapidinho e vai ajudar muitão!

O Menestrel – William Shakespeare

Um dia você aprende que…

Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.

E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.

E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam…

E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida.

E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.

Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse alguém não o ama,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar…
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.

E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar.


© William Shakespeare